sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

mulher

Ela vinha doce, caminhava levada, levando o vento na borda da saia rodada.
Vinha vinho, branco, refrescando a tarde recém findada, confundindo meu paladar.
Vinha nela o que eu via nela. E o que eu via nela? Ah nem sei...
Sei que via, sei que vinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário