terça-feira, 24 de janeiro de 2017

uma corrente de gente

quando a água corre forte por aqui varre tudo. limpa os caminhos, derruba barreiras, destrói o que não se molda a sua força. a gente chega no mundo sem saber vazar, fica preso na força das correntes que se achegam pela vida. é difícil. as vezes tem tronco, tem lixo, tem tanta coisa que é foda conter, difícil. é preciso aprender a vergar, como o capim teimoso que sobrevive a qualquer tempestade, como o jenipapo que não quebra quando dobra, que vira alma no bojo do peito. as águas sobem sozinhas, quando querem, como querem. é bom ter por perto alguém pra segurar na corrente, pra pedir colo. é bom ter por dentro fé pra aguentar o tranco. e se a água subiu sem avisar, amigo sigo aqui pra vazar com você. força pra seguir e a certeza de ter por perto, mesmo longe, uma corrente de gente pra segurar qualquer tempestade.

Um comentário: